Menos mistério e mais ação - Uma entrevista com o Anonymous Brasil

Anonymous - Entrevista

Um grupo de hacker que invade, derruba, rouba, monitora e destrincha sistemas inteiros a procura de informações que sejam úteis a população. Para alguns, inimigos imaginários capazes de iludirem todo o povo em nome de uma liberdade já dominada, para outros, heróis revolucionadores que atuam combatendo o crime e defendendo a democracia. Mas entre os extremos, o que será que verdadeiramente existe?

* A visualização dos vídeos presentes neste artigo são quase obrigatórias para o entendimento das demais partes.

De onde vem o Anonymous


Não existem informações precisas, o início da ideia "Anonymous" parece ir se desmontando e remontando ao longo do tempo, sem forma de grupo ou instituição, sem organização, até finalmente se fixar através da famosa máscara de Guy Fawkes, e se instalar como componente essencial no que as empresas e o governo se referem unicamente como "hackativism".

O início de uma era

Apesar de não termos necessariamente um ponto de início em relação a ideia, as máscaras e a divulgação da mesma unida ao acesso mais livre ao público e ao marketing se estabeleceram recentemente, em aproximadamente 2008 quando os movimentos contra o anonimato da Cientologia explodiram. Em um artigo direcionado aos "mistérios" do Anonymous o portal Fórum se refere de forma precisa ao início do Anonymous, leia o trecho a seguir:

"Em 14 de janeiro de 2008, um vídeo com o ator Tom Cruise fazendo apologia das maravilhas da Igreja da Cientologia foi parar no YouTube. A seita das celebridades de Hollywood não gostou e entrou com um pedido de violação de direitos autorais contra o canal de internet, exigindo a imediata remoção do conteúdo. Ganhou na Justiça, mas a censura desencadeou uma série de ações contra a igreja. Tanto na rede quanto nas ruas.
Em 2 de fevereiro daquele ano, duas centenas de pessoas se reuniram em frente a um centro da Igreja, na Flórida, para protestar. Manifestações também foram realizadas no mesmo dia na Califórnia (EUA) e em Manchester (Inglaterra). No dia 10 e no dia 15, os atos continuaram, cada um com cerca de 8 mil pessoas protestando em aproximadamente uma centena de cidades, incluindo Chicago, Los Angeles, Londres, Paris, Vancouver e Berlim. Detalhe: os manifestantes escondiam seus rostos sob máscaras, boa parte delas do personagem do filme “V de Vingança”, que foi inspirado num personagem histórico inglês, Guy Fawkes.
O mundo começava a conhecer o Anonymous, grupo gerado pela ação das redes e que, desde 2003, se articulava e debatia ideias em fóruns, principalmente no site 4chan e no Internet Relay Chat (IRC)." - Leia o artigo completo

A Cientologia é uma seita que já levantou diversas polêmicas, e o seu excesso de cuidado em proteger a sua "privacidade" ou mesmo presença é clara. Recentemente (08/11/2013) Tom Cruise, participante da Seita admitiu que a Cientologia foi um dos motivos da sua separação com Katie. É possível ler uma notícia da época aqui. Dentre outros escândalos, a seita foi condenada por falsificação em 2009, como é possível ler no artigo da BBC.

A sua obcecação na manipulação da mente humana é clara, os seus vídeos de apresentação são altamente sedutores e com certeza converteriam boa parte dos que se atrevessem a assistir caso não procurassem nada sobre a seita.
O documentário a seguir foi realizado pela emissora de televisão BBC e pela Philos e revela algumas áreas na grande (gigante) parte oculta da seita.


Uma máscara, um milhão de feitos

O Anonymous não possui uma organização centralizada, ou seja, cada integrante possui a sua ideia de mundo, e apesar de se encontrar com facilidade perfis fakes em redes sociais que pouco, ou nada possuem de ligação com os demais integrantes da Anonymous as organizações em pequenos grupos são chaves neste tipo de relação por facilitarem a organização em grupos menores.

Os protestos contra a Cientologia, que conseguiram colocar a seita em pauta foram só a ponta do iceberg, a ideia de um mundo onde as informações fluam, e a liberdade seja garantida, seguiu em frente, com ligações diretas com páginas que divulgam feitos pelos integrantes e com o Wikileaks, 

Apesar das referências iniciais à Cientologia, a relação entre os protestos e as seitas terminam por aí, o Anonymous não possui relação com religião, posição governamental, organização governamental, países ou instituições além das especializadas nas divulgações de documentos secretos. O único segredo guardado por alguns anons se refere exclusivamente a sua identidade, que por "tocar" em pontos perigosos, como relações governamentais, corrupção, marcas poderosas e personalidades influentes tende a ser uma informação perigosa.

Os feitos realizados pelos hackers participantes variam drasticamente, desde a prisão de 200 pedófilos realizado em 2012, até o roubo de diversas informações do governo e sua divulgação, o que acontece tantas vezes que é impossível definir uma data específica.

A máscara


A máscara do anonymous é uma referência a Guy Falwkes soldado que participou da famosa "Conspiração da pólvora" que planejava derrubar o rei James I explodindo o parlamento. A tentativa fracassou e ele foi preso, torturado, enforcado, esquartejado e teve suas partes espalhadas pelo território nacional para que ninguém se atrevesse a fazer o mesmo. O dia 5 de novembro (dia da sua morte) passou a ser o dia do Guy Falwkes, onde os ingleses costumam queimar um boneco com o seu rosto e festejar. Falwkes, passou a ser uma espécie de personagem de ficção infantil até os anos 80.

"Na década de 80 a visão sobre Fawkes começou a ser mudada graças a V de Vingança, hoje considerado um clássico das HQs criado pela dupla Alan Moore e David Lloyd. O gibi conta a história de um futuro distópico no Reino Unido onde um misterioso revolucionário conhecido apenas pelo codinome "V" e que usa uma máscara de Fawkes planeja destruir o governo totalitário que está no poder.
V é um anarquista extremamente carismático que vai trazendo outras pessoas para a sua causa, mas que no final acaba se ferrando, assim como Fawkes. Moore trabalha diversos pontos na obra, como anarquismo, fascismo, além de estabelecer uma espécie de crítica ao então governo inglês. O gibi teve um grande impacto na indústria dos quadrinhos quando foi publicado em território americano pela DC Comics." - Leia tudo no Yahoo Notícias

As principais dúvidas e o que eles são




* A não ideologia fixa se refere a não ideologia em aspectos comuns, socialista, capitalista, anarquista e etc. Apesar disto, pontos comuns (extremamente comuns) são compartilhados, e a depender da situação isto pode sim ser interpretado como ideologia.


Uma entrevista com os Anonymous


No Brasil, um dos principais sites responsáveis pela divulgação de documentos e da participação exterior em nosso país é o site Anonymous Brasil. Em um contato com o site para um pedido de entrevista fui respondido e utilizo a mesma para retirar possíveis dúvidas.

Vale lembrar que as respostas gerais são aplicáveis pois o site é verdadeiramente guiado pelo Anonymous, mas volto a repetir que a ideia não possui um líder.


1. Já que o grupo não possui líderes ou representantes adequados, como diferenciar vídeos e artigos “fakes” dos representantes do já abstrato “ideal anonymous”?

R. O nome "Anonymous" já tem sido utilizado há algum tempo na defesa de interesses particulares, que nada compartilham com a ideologia a qual ela é baseada. O que as pessoas devem fazer, como em qualquer outro assunto, é estudar sobre nossa ideologia, o que defendemos e contra quem lutamos, para que forme uma base teórica que lhe dará condição de discernir entre um discurso coerente e um aproveitador.

2. O Anonymous se diz sem nenhum tipo de ideologia em boa parte de suas auto referências, mas garantir a liberdade de informações em si, não é uma forma de defender uma ideologia por si só?

R. Nós temos sim uma ideologia muito forte e bem fundamentada. O que nós não temos é posição política.

3. O Anonymous não mantém um sistema de governo interior, ou relações comerciais diretas, uma representação perfeita da anarquia que (aparentemente) pela confusão conseguiu driblar tudo o que se opôs, qual a relação entre os Anonymous e a anarquia? Se ela não existir, por favor explique se há alguma concordância com ideias de governo por parte da maioria dos integrantes.

R. Anarquia é um substantivo que abrange uma série de conceitos, e as ideias defendidas pela Anonymous se encaixa em alguns deles. No entanto, a Anonymous não defende nenhum tipo de regime político e nem menos a ausência de um, e por isso já não podem nos chamar de anarquistas.


4. Quais os principais focos? Vocês possuem alguma ligação com casos além da corrupção governamental?

R. Anonymous é uma ideia que defende a liberdade, no sentido mais amplo que você possa imaginar. Utilizamos nossos meios para combater e divulgar escândalos que prejudiquem a população de uma maneira em geral, para que elas se conscientizem e exijam mudanças, e isso vai além de corrupção governamental.


5. Como o Anonymous entende casos como os escândalos do BNDES, e das hidrelétricas no norte do país? E quanto aos outros bancos?

R. Anonymous não entende, pois Anonymous é uma ideia. Se você repetir essa pergunta para 100 pessoas que seguem o ideal Anonymous, receberá de volta 100 respostas diferentes. No entanto, em linhas gerais, a ideologia objetiva o combate e a denúncia de qualquer tipo de corrupção ou escândalo que prejudique a população, principalmente a parcela mais prejudicada e que não há com quem contar com sua defesa. 

Sobre a copa

1. Já que segundo Joana Havelange “O que tinha que ser roubado já foi”. Qual o principal motivo para tentar se manter protestando mesmo durante a copa do mundo?

R. Nós não protestamos contra a Copa do Mundo, nós protestamos pelo que está por trás dessa organização. Independente se ela ocorre ou não, nós não somos contra o evento em si. O que nós combatemos já existia antes do mundial, está existindo agora e irá continuar existindo depois. É claro que a repercussão das ações que são realizadas durante o evento tomam uma proporção maior, e isso é de nosso interesse, para difundir nossas ideias para a população, mas é importante salientarmos que nossa luta é muito mais abrangente.

2. Houve alguma queda no número de pessoas nos protestos depois do início da copa, ou ainda existem planos maiores? E dentro do “grupo” Anonymous alguém se manifestou a favor da Copa do Mundo?

R. Nós não organizamos manifestações, nós simplesmente ajudamos na divulgação. A grandeza das manifestações depende de fatores que não estão sob nosso controle. Nosso trabalho é levar a verdade para a população, para que ela se organize e se mobilize na exigência das mudanças. Se for uma manifestação de rua, ajudamos a divulgar e levar ao conhecimento do público em geral pelos nossos meios - foi assim em junho de 2013. É claro que apoiamos aquilo que está de encontro com a nossa ideologia. Não apoiamos, por exemplo, eventos que pedem a volta do regime militar, ou atos religiosos e reacionários. Somos uma ideia revolucionária fundamentada pela liberdade. Se alguém realmente segue o ideal Anonymous e concorda com a realização da Copa do Mundo FIFA, na maneira a qual está sendo feita, essa pessoa está sendo totalmente contraditória.

3. Qual o papel do Anonymous no combate a corrupção no Brasil? Oque vocês já fizeram?

R. Nós "caçamos", por vias digitais e tradicionais, indícios ou provas de esquemas de corrupção, e então divulgamos pelos nossos meios. Você pode conferir em nosso site na seção Dossiês (http://www.anonymousbrasil.com/dossies/). Vale lembrar que este é apenas o trabalho de uma única célula de um único país.


4. Se você (ou os anonymous mais próximos) pudessem enviar uma mensagem, ou imagem para as gerações futuras, o que gostariam de mostrar?

R. Pesquise, estude, questione, veja, re-veja, leia, aprenda.


A revolução vinda da "zoeira sem limites"


Devido a polêmica, diversos documentários já foram produzidos para contar e recontar cada detalhe desta história e desta força recém criada, apesar disto, poucos se mantêm fieis ao que estes realmente querem dizer. Abaixo segue um dos melhores documentários sobre o assunto, apesar de se encontrar em inglês ele está devidamente legendado.

O documentáiro We are a legion conta toda a história do Anonymous, desde as trolagens no 4Chan, das manifestações contra a invisibilidade da Cientologia até a renúncia do ditador do Egito. 



Mas nem só de flores vivem os anons


Manterem-se entre governos e guerras faz deles alvos claros de ofensas e ilusões por parte do governo, isto se torna claro por exemplo, quando percebemos que a máscara de Guy Falwkes aparece em referências a pirataria e crimes cibernéticos infundados que pouco seguem o que a ideologia do grupo defende. Em março deste ano, apesar de pouco noticiado em nosso país, o governo da Turquia fechou o twitter dentro de todo o país para conter acusações de corrupção no governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan durante as eleições Ele se referiu ao Twitter como "uma ameaça para a sociedade". Em junho, o governo prendeu 25 pessoas responsáveis por utilizarem redes sociais para criticarem o governo. Após pouco tempo, depois do vazamento de um áudio comprometedor para o governo, o YouTube também foi removido do ar.

É importante lembrarmos, que como dito no documentário, de fato, é simples valer-se do nome anonymous, mas essa força mista e tênue entre bem e mal com certeza é capaz de realizar muitos feitos em um futuro próximo.



“O mesmo jogo está sendo jogado no Brasil. Os símbolos são os mesmos, Twitter, Facebook, são os mesmos, a mídia internacional é a mesma. Os protestos estão sendo levados ao mesmo centro”, analisou Erdogan. “Eles estão fazendo o máximo possível para conseguir no Brasil o que não conseguiram aqui. É o mesmo jogo, a mesma armadilha, o mesmo objetivo”. A declaração alimentou ainda mais os protestos
Opera Mundi22/06/2013 - 15h38


0 comentários: