A ética, a vida, e o vegetarianismo.

A parte das objeções e preconceitos, ou hipérbole de prazeres que podemos incluir nesse tema, será que o vegetarianismo faz sentido? E afinal de contas, porque EU me tornei vegetariano? Radicalismo, fanatismo, escolha, ou somente ética pessoal?










Não é modismo, saiba como o vegetarianismo começou.

Mesmo muito criticado, o próprio homem pré-histórico era quase essencialmente vegetariano. A carne surgiu a pouco tempo dentro da dieta humana, e quando surgiu, as crendices (nas quais não me apoio para seguir tal ideologia) afastaram o consumo de carne por motivos religiosos.

Vegetarianismo na Grécia Antiga.

Na Grécia antiga, havia a crença de que algum dia o homem não mataria animais para comer, esta época, seria chamada de Era Dourada. Na Grécia também, várias ideologias (mesmo que não bem desenvolvidas) surgiram, e vários dos seus famosos pensadores se negaram ao consumo de tal alimento. Dentre eles, Pitágoras, Apolônio de Tiana, Porfílico e talvez Platão, já que as evidências não são conclusivas neste caso. 

O vegetarianismo na Idade Média.

Nesta época, (e deixo claro que até agora não me apoio em nenhuma das afirmações anteriores para manter esta dieta) a visão de pecado e desejos carnais incorretos fez com que diversas igrejas considerassem um ato pecaminoso consumir carne. Mas, a nossa revolução ainda não se inicia aqui. Para mais informações, leiam:

Falando sobre vegetarianismo e A história do vegetarianismo



O vegetarianismo e a biologia.


"Temos dentes pontiagudos na boca (caninos), feitos para rasgar carne, o ser-humano, portanto, foi sim, feito para comer carne, isso tudo não passa de babaquice."

Sim, se alguém se tornou vegetariano que se prepare, estes argumentos chovem, assim como relativos a nutrição e a religião. Mas, não é bem assim. A maioria das leigos, ao pensarem em vegetarianismo pensam em promessas (já ouvi muito), nutrição, e desnutrição. Pelo contrário, ser vegetariano traz muito mais bens a saúde do que se pensa, desde colesterol até danos mais sérios, infelizmente, como tudo o que inclui nutrição, todas as análises a longo ou a curto prazo possuem suas discrepâncias, principalmente pelo fato, de como tudo no mundo, existirem imbecis dos dois lados. Chegando até a acontecerem atos preconceituosos, tanto contra "carnívoros" quanto contra "vegetarianos".

Antes, de seguir no tema, é importante que eu deixe claro que o ser humano é onívoro. Isto quer dizer, ele se alimenta do que puder, e isto inclui, a carne.

 A escolha de não comer carne para melhorar a saúde é uma das mais comuns, apesar disto, nenhum estudo é conclusivo sobre o assunto, embora a maioria aponte para o fato dos benefícios do vegetarianismo. Na minha humilde opinião, a carne não é tão importante em uma dieta a ponto de mudar sua saúde. Sim, nós vegetarianos pegamos gripes, resfriados, temos câncer e  todas as doenças que alguém que consuma carne também pode ter. Vegetarianos que se auto denominam "super saudáveis" estão longe de falarem a verdade. Embora tenham de fato, menos problemas de saude que uma pessoa comum.

Por que ser vegetariano?

Ética pessoal. Esta é a minha resposta principal. Independente do fato do ser humano ser igual ou não aos outros animais a ética pessoal é algo que não pode ser definido pela sociedade. Ser vegetariano em nome da defesa dos direitos dos animais é exatamente isto. E isto não é necessariamente aplicado só ao vegetarianismo.

Como vegetarianismo é uma ideia de ética pessoal, é hipocrisia da parte de todos os "vegetarianos gritantes" considerar todos os consumidores como pessoas sem coração, frias, ou mesmo doentes.
Esta frase provavelmente vai ser esquecida por você assim que ver o que temos a seguir, apesar disto, o não consumo de carne afeta diretamente estas empresas. E a informação esta sim perfeitamente válida para tratar do assunto, é essencial para lidarmos com este impasse.

O vídeo a seguir não é recomendados para pessoas frágeis. Apesar disto, é a produção da sua comida.






Ignorando todos os apelos emocionais presentes no início do vídeo, observe somente a estrutura do documentário.

O vegetarianismo e o meio-ambiente

A produção de carne é um dos maiores motivos do desmatamento. Isso acontece, porque para a carne ser produzido é necessário pasto (no caso dos bovinos) e estes pastos são produzidos derrubando árvores para se plantar "nada". Em compensação, a produção de gado aumenta e leva consigo uma enorme emissão de gás metano 3x mais potente que o gás carbônico que é considerado o principal agente do aquecimento global. Esses pastos se fixam nas florestas e seguem desmatando indiscriminadamente.




Se é tão bom, por que tantas críticas sobre ele?

Se você já parou para pesquisar os porquês de se comer carne e as críticas ao vegetarianismo, ou encontrou absurdos em páginas dedicadas ao vegetarianismo ou ao veganismo, você não é o único. Eu mesmo já encontrei absurdos. Então, como já havia deixado claro, é uma questão de ética pessoal. Chegamos a conclusão portanto, de que sim, o vegetarianismo faz sentido e merece respeito.





Mas eu não consigo ser vegetariano.

É normal não conseguir parar de comer carne, é de fato delicioso, mesmo que muitos vegetarianos e veganos desconsiderem. O organismo de algumas pessoas também pode vir a não se adaptar, e logo elas terminam por consumir. No meu caso pessoalmente, não senti falta, e até engordei um pouco, contrariando as expectativas dos meus parentes que acharam que eu ia morrer desnutrido.

O critério é inteiro seu, e você com certeza não é o único. Sites te ajudarão a desenvolver uma dieta completa com todos os nutrientes necessários, e com alimentos muito saborosos.

Vamos, vá além, pesquise e descubra mais, mas sempre lembre de que cada organismo responde de uma forma, então nada de largar de vez, diminua pouco à pouco caso queira mudar de dieta.





O documentário a seguir foi desenvolvido pela PETA com o apoio de Paul McCartney.


0 comentários: