A liberdade atual, que tal definir?- Se liga aí!

Recomendamos veementemente que leia o post a seguir acompanhado de uma boa música... exatamente, a "Se liga aí!" do admirável Gabriel o Pensador ^^:







A discussão quanto à liberdade já foi feita aqui de diversas maneiras, desde a discussão sobre democracia que seguiu em vários posts, até a da própria liberdade de expressão. Isto, porque um tema tão longo, e com tantas brechas abertas de todos os lados, tem muitas ramificações. E hoje, deixando de lado a nossa discussão sobre liberdade de expressão vamos partir para a liberdade real, do estado laico, a liberdade sexual e religiosa. Desta vez, aparentemente não há muito o que se discutir, todos que lerem vão pensar, EU SOU A FAVOR DA LIBERDADE. Mas e a liberdade  e a democracia na sociedade e em sua organização? Novamente preciso dizer, é mais complexo do que o que se pensa.

Liberdade e organização social


Como a mídia pode manipular seu ponto de vista
Imagem divulgada em redes sociais, 3 interpretações,
 1 completa, 2 intermediárias
Tenho opiniões políticas quanto a organização da sociedade bastantes diferentes do comum. Isto, porque uma organização social como o capitalismo garante e necessita que em algum momento, alguém deva se encontrar tão acima dos outros que torna-se um alvo, e embora já tenha concordado, não posso apoiar o socialismo por motivos suficiente bons ao menos pra mim.

Bem, como já devo ter citado aqui outras vezes, planejo fazer faculdade de jornalismo, e dentre minhas andanças dentro do tema, acabei por ler um breve livro de Felipe Pena (A teoria do jornalismo), nele, constavam exemplos válidos da importância e ao mesmo tempo das falhas na democracia. Por exemplo, a ilusão vinda das mídias e dos políticos, além da modificação natural causada pelo desenvolvimento e reprodução da informação. Ato que provoca mudanças que podem vir a levar a novas interpretações.

Com uma possibilidade de burlar as interpretações e manipular as opiniões, a confiança na democracia tente a decrescer. Felizmente, o problema, não é remover a democracia, NADA pode se contrapor a liberdade de pensamento. O problema é evitar manipulação por parte das grandes instituições e companhias... como? Bem, talvez em outro post a gente venha a discutir.


Um bando de condenados, deve ser unido?

Liberdade- O preconceito isola Esta é uma ótima pergunta, estamos todos, definitivamente condenados a morte. Estamos todos condenados a de alguma maneira sofrer. E estamos todos condenados a sentir em algum momento da vida aquele vazio no peito como se algo faltasse (tema de outro post).

Obrigatoriamente, corremos para produzir, despejar, polir, enterrar, se sustentar, viver, somos como formigas que dormem, correto? Estamos condenados em maioria a nunca sair deste esquema de existência (sub), mas, e agora? Há alguma forma de burlar esta regra tão pertinente? Uma forma de ver a liberdade como algo maior?

Meu caro, não tenho as respostas, realmente, isto me perturba um pouco, e como já devem ter percebido, este é mais um daqueles textos que saem por aqui com mais perguntas que respostas.

A principal questão aqui, é manter tudo interligado, como condenados a sermos o que hoje somos com uma liberdade meio fajuta e muito limitada, manter pessoas distantes não parece fazer sentido. Excluir pessoas do meio social geral, não parece ter algum sentido.

Eu posso não gostar de você pelo que você é ou me fez, ou fez com alguém que eu goste, mas não devo te manter distante do contato social como quem não existe, você envenenou nossa relação, mas eu, não tenho nenhum motivo em envenenar sua relação com a de todas as outras pessoas, isto não faz nenhum sentido, tampouco me faz melhor que você.

Liberdade- Pessoa jogando o nazismo no lixoLiberdade e preconceito


Judeus, umbandistas, cristãos, homossexuais, bissexuais, assexuados, negros, índios, brancos, mulheres, homens, brasileiros, estadunidenses, australianos, africanos, jovens, idosos, crianças, pedreiros, professores, garis, desempregados, classe média baixa, classe média alta, gente abaixo da linha da pobreza... humanos, alguns perdidos no verdadeiro fuzuê da sociedade, e outros mais do que bem achados, não importa! A liberdade é única, e abstrata ou não, liberdade de expressão ou de qualquer outro tipo, ela existe, deve existir. E mesmo com suas limitações, o seu papel é o mesmo.


Motivos para se ter preconceito (nenhum), julgar alguém por determinada coisa, baseado em outra, por exemplo, você é negro, por isso é ladrão, ou, você é assassino porque está vestido de laranja e ninguém vestido de laranja presta.

A liberdade, nadando contra as correntes


A liberdade é um direito enorme, e literalmente, implica em muitas coisas, o preconceito justifica para várias pessoas, muita coisa. E sim, muitas delas são desculpas religiosas sem cabimento... e preciso ser direto, estamos tão preocupados com a cor do outro, com sua religião, com seu poder financeiro, que acabamos batendo palma para a injustiça.

Mãos unidas- LiberdadeMarcos Feliciano, pode até ser conhecido por suas brigas contra o homossexualismo, mas, ao menos para mim, o pior de todos os horrores do seu circo de imbecilidades, é o racismo, e nem sempre as pessoas se preocupam com ele, ele pode até ser figurinha repetida nos jornais... bem, não estou aqui atacando a pessoas Marcos Feliciano (pois nunca faria isto), estou condenado o principal farol que cega a felicidade e a liberdade, o de que preconceito não tem nada a ver com liberdade.

O preconceito, mata a liberdade, e nunca poderemos ter liberdade enquanto alguém é julgado, ou "amaldiçoado por Deus" pela cor da sua pele. Africanos, não tem pobreza porque Deus os amaldiçoou, mas sim, porque ninguém os alimentou, mas é bem mais fácil por as dores e a culpa, em alguém superior, mesmo que a culpa seja de sua própria imbecilidade

Não vejo nenhuma outra forma de terminar este texto, a não ser dizer claramente, que enquanto nos preocuparmos com este tipo de imbecilidade ( como cor da pele, roupas e etc), nunca seremos felizes ou poderemos ter liberdade.