O pobre e o poder: A ignorância de quem pode fazer algo.

Quaresma- Não vou comer carne vermelha por 40 dias; Não como carne de cor alguma a 365 dias.
   Caro ser-humano de classe média alta e de capacidade cognitiva igual, que acredita que pobres são pobres porque querem, e/ou criaturinha nojenta e sem escrúpulos que pode mas não faz nada para ajudar ninguém, recomendamos arduamente a leitura deste artigo. Estamos aqui hoje, para discutir quem afinal de contas pode fazer alguma coisa pra acabar com a pobreza. Afinal de contas, neste ponto, aparentemente podemos esquecer dos governos (igualmente quanto a sua ignorância).




Então meus leitores, sei que embora já saibam minha opinião quanto a este assunto (principalmente se leram mais que cinco artigos meus, não pude deixar de juntar todos os meus pontos de vista tocáveis e colocá-los aqui. Afinal, é inegável que existem pobres, e é igualmente inegável, que estes como quaisquer seres humanos merecem respeito, dignidade e direitos a condições de vida no mínimo básicas.

Mas, nosso blog desta vez, não vai focar nos pobres, mas sim em quem pode e não vai fazer nada.

Como sempre, ouvimos pessoas loucas para mudar o mundo, e como o discutido na postagem do link anterior, nem sempre estas irão conseguir. Mas existem pessoas também, que simplesmente sonham com vidas perfeitas. Famílias felizes, sorrisos, vinhos, dinheiro e comerciais de margarina. Não é bem assim.

Todos com suas barriguinhas cheias? Já almoçaram, jantaram e Cia? Vamos ao post:

A pobreza e a indiferença:

Todos já demos alguma esmola em algum dia da vida. A pobreza cada vez mais bate a nossa porta e cada vez mais olha nos nossos olhos através dos nossos computadores. Basta olhar um pouco além do facebook para perceber que o mundo inteiro está em um caos total. Julgamos drogados, pobres, mães novas e a atitude de tantas pessoas por simplesmente não termos passado por aquilo. (Motivo pelo qual engajei-me em uma discussão no colégio esses dias que durou quase a manhã inteira).

Garoto rico com grande bolsa de dinheiro olhando pobre com pequeno cofre na mão
A questão é que todos os planos de vida equivalem a algo que a maioria das pessoas olha como "um futuro promissor" e que eu olho como "um desperdício burguês", sim, admito que minha visão é provavelmente exagerada, e exacerbadamente dura. contudo, não tenho nada a dizer quando se trata de viver uma vida comum de rico, ter uma bela família, morrer e deixar sua riqueza para seu filho que terá a mesma opinião e destino.

Refiro-me a um sonho burguês, o sonho de passar uma vida inteira olhando o mundo e ignorando os pobres, vendo só sua comida em seu prato e ignorando o prato vazio do outro.

Não vou ser hipócrita aqui e dizer que andei procurando na rua um pobre para dividir meu prato de comida (até porquê no fim das contas pode ser perigoso) mas digo que se tiver uma chance, naturalmente daria. aqui coloco também que não teno emprego fixo, estudo para em um futuro poder fazer com que esse pedido chegue a mais pessoas.

Se há algo que me deixa simplesmente **** é a indiferença. Mas logo discutiremos isso.

E porquê existem pobres?

Nos deparamos com vários ao longo da nossa vida, aparentemente não é nada demais, mas como algumas crianças já repararam e já incomodaram seus pais com essa pergunta, por que existem pobres e ricos?

Para isso, recorri ao site da universidade Metodista, segundo um texto publicado na própria:

Representação com bonecos- Ricos jogam no lixo, pobres pegam do lixo"Muitos estudiosos acreditam que a partir do capitalismo, a desigualdade tornou-se mais evidente. 'A pobreza acentuou-se no século XVI com a dissolução do mundo feudal e o surgimento do capitalismo. Houve uma expulsão dos camponeses das terras que lhes forneciam meios para subsistência e essas pessoas não tiveram como reproduzir sua vida e começaram a viver de ajuda e caridade alheia', afirma o professor Ricardo Musse, doutor em Filosofia da Universidade de São Paulo.
Nesse sentido, um dos importantes nomes da história na discussão do problema é o filósofo Karl Marx (1818-1883), que interpreta a miséria como um instrumento utilizado pelas classes dominantes. Para ele, a desigualdade é resultado da divisão de classes – entre aqueles que detêm os meios de produção e os trabalhadores, que só têm a força de trabalho para garantir a sobrevivência. 'Como Marx mostrou, para que esse sistema funcione é necessária a existência de trabalhadores desprovidos dos meios de produção. A desigualdade, portanto, depende do modo como a sociedade organiza a produção e a distribuição dos bens que consome', declara Musse."
Para ler mais, basta clicar no nome da faculdade mais acima e será redirecionado diretamente para o artigo na íntegra.

Enfim, aqui voltamos para o ponto inicial, a injustiça, aparentemente esta vinda desde os primórdios do nosso sistema.

E quanto custa para acabar com a pobreza?


Quando iniciei o post referindo-me a pessoas com um olhar de futuro "mediocremente burguês", ou seja, gente que cresce sonhando simplesmente em ter dinheiro e viver em um comercial de margarina quis chegar a este ponto. Por mais devastadora que possa parecer a existência da pobreza, segundo dados divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD, bastaria 1% do rendimento mundial para cobrir todo o custo da erradicação da pobreza material do mundo. O milagre verdadeiro, entretanto, é que isto depende de vontade política.

Da mesma maneira,  segundo a Fenafar, a renda das 100 pessoas mais ricas do mundo seria em 1 ano, suficiente para acabar com a pobreza do mundo 4 vezes. Vamos lá, 100 pessoas, em 1 ano, graças a Deus por enquanto só temos 1 mundo, então, se estas 100 pessoas ficassem 3 meses (91,25 dias exatamente) sem receber nada e doassem e distribuíssem todo o dinheiro adquirido, a pobreza acabaria.

Estas pessoas poderiam ficar obviamente 3 meses sem receber, se sustentariam obviamente, mas a sede de ter mais as impede. Vamos admitir, são pessoas como nós de carne e osso, elas podem fazer isto.

Infelizmente, estas "pessoas" se é que podemos chamar assim, estão tão acima de nós, que como se fossem deuses, simplesmente preferem enfiar os pobres nos becos por onde não andam e esquecerem deles.

Sabemos que estas pessoas chegaram lá em cima a muito custo, mas vamos combinar que o Jim Walton, não foi criado em um morro do Rio do Janeiro né?

Também, precisamos lembrar que vivemos em um país com  20 milhões de pessoas vivendo na linha da pobreza, o que equivale a ter uma renda de menos de 70 reais por mês. Agora, descarte de sua mente a casa (é impossível), e consideremos só alimento, teremos por dia, 2,33 centavos aproximadamente. Alimente-se com isso, crie seus filhos com isso.

Desculpe-me, eu esqueci, estas pessoas também não podem ter filhos, não tem condições, tampouco seriam respeitadas em um hospital, ou a criança sobreviveria a gestação sem nenhum alimento.

E estamos falando do Brasil, enquanto na Índia, existem 100 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza. Existem 100 milhões de pessoas na miséria.

E ainda obviamente, temos que pensar, cada vez mais pessoas perdem o pouco que conseguiram com os desastres naturais.

O gráfico abaixo é de setembro de 2011, os dados que afirmam os 20 milhões é deste ano e pode ser encontrado no link da "Amambaí notícias".
4,8 milhões de brasileiros sem nenhuma renda, 71% negros, 47% no campo, 51% com menos de 19 anos, 9,6 milhões no nordeste Fonte IBGE- Edição MTV