Liberdade de expressão: Até onde deve ir?




Será que usamos a liberdade de expressão corretamente?

 Hoje se fala muito sobre a liberdade de expressão. Essa liberdade se define exatamente pela plena capacidade de expressar o pensar através dos meios que se desejar. Ela foi conquistada, contudo, ainda hoje é "oprimida", embora não seja tão claro.
A principal arma dos opressores é exatamente tratar essa liberdade como se não existisse. Antigamente se tinha plena consciência de como isso deveria ser, mas não se podia. Hoje podemos e a utilizamos para expressões fúteis, já que podemos dizer o que quisermos e tocar músicas quando quisermos... porque não tocar obsanidades em praça pública?
Estão entendendo essa lógica? Para provar que hoje temos e não usamos, disponibilizo abaixo um trecho de um livro:

No pau e na pedrada: O voto no tempo de seus tataravós:

Façamos agora uma comparação. Mais ou menos a cento e cinquenta anos, no tempo dos seus tataravós, como seria a tarde de um dia de eleição? Caso eles olhassem, o que veriam?
Com certeza não veriam carros, bonés ou camisetas, pois estas coisas ainda não haviam naquela época. Também não veriam 'santinhos', bandeiras, ou qualquer tipo de de propaganda dos partidos. Não que não existissem partidos. [...] O fato é que os políticos daquele tempo não precisavam fazer propaganda. No Brasil dos seus tataravós não existia democracia e poucas pessoas participavam da política. Para dizer a verdade, não havia nem cédulas, título de eleitor ou urnas. Eleições se resolvia no tiro, no pau e na pedrada! [...]
E tem mais! Se você acha que que qualquer um podia votar está redondamente enganado. Além da eleição ser indireta era também censitária. Só podia votar quem fosse do sexo masculino, analfabeto ou não tivesse uma renda de 100 mil réis. "

( Brasil , Uma história em construção, Vol.2 Jose Rivair Macedo e Mariley W. Oliveira; Editora Brasil, Ano 2000)

E concluindo...

 Então... em um governo cujo o voto era absurdamente limitado, imagine o que acontecia com quem o criticava. Era um absurdo. Pessoas batalharam pelo direito de escolher. Pessoas morreram pela ideia de um país livre. Hoje nós o temos em parte.
Aí entramos em pauta com a ideia de liberdade total de EXPRESSÃO.
Inspirado por/ mais informações:
Livres Pensadores



Inspirado por/ mais informações:
Livres Pensadores