A história do palhaço " Mais que um riso"

         Estava eu a pensar em casa um dia a noite de onde teria saído a primeira piada, a que deu ao mundo todas as outras. aí você deve se perguntar de onde tirei isso, não é? Vou explicar :
       Quando alguém dá risada demais e sem querer solta o famoso "Ronk Ronk!", o acontecido gera mais riso ainda, ou seja risos acontecem de coisas inesperadas certo?

Considerando no que seria a pré história duvido muito que pudessem existir palhaços, bêbados, ou mesmo álcool para que as pessoas rissem, assim a ideia de riso deve ter vindo depois de um belo tropeção ou puxão de algum animal, sei lá, um susto com o pum de alguém talvez. Ou seja agradeça, seu pum poderia ter sido inspirador para alguém em alguma época.



   
 Deixando de lado os puns históricos, podemos lembrar do primeiro palhaço do mundo? Pois bem com sua inicial permissão vamos ver quem foram o primogênitos dessa família de fazedores de graça:
  
    A ideia de palhaço apareceu já na idade média com os até hoje famosos bufões, (oops!), não sei se tem algo a ver com o que falei acima,mas... Pois bem os primeiros surgiram assim, eram os bobos da corte, e embora você tenha pensado logo neles no começo da história não era algo assim como você, pensa tão simples, a arte da palhaçada vem a muito tempo e desde a famosa época das trovas, quando antes da apresentação eles vinham com suas vassouras espantando o povo mandando que se afastassem por que precisava de "espaço pra eu começar minha trova!"
   
 Sempre horrendos com enormes sobrancelhas e narizes, aparecem em decisões importante da história, como conselheiros ou ajudantes reais dos príncipes e princesas (o Bozo não é tão idiota agora por ajudar o rei hã?). Usavam sempre de bom-humor até para convenser imperadores a mudarem de ideia e mantém essa cultura de bom-humor até os dias de hoje, sendo os principais nos circos.
    
Um lindo movimento hoje bastante conhecido e reconhecido é o dos doutores da alegria que cuidando de crianças com todo o amor fraternal possível, contribuem para sua melhora algo que prova que o ser humano ainda tem o que dar. Cada dia uma alegria a mais a uma criança ou a um idoso. O mais legal é saber que eles fazem isso por puro prazer e deixam tudo de lado. Sei que talvez pra eles  em pareça no fim das contas tanto sacrifício mas agradeço muito, já que para quem fica fora desse globo, isso sim parece um absurdo de um sacrifício. Por isso resolvi falar sobre palhaços nessa postagem e por isso resolvi abrir o blog com algo sobre heróis do meu tempo, simples como eu, Simples como qualquer um e sem nada a mais, é por isso e só por isso que vocês são especiasis. Obrigado!
    
 Um dos maiores fazedores de graça de todos os tempos foi o incomparável CHARLIE CHAPLIN, o homem que da ditadura fez uma graça e que levou milhares a gargalhadas. Que na época de dor foi uma verdadeira luz e que se opôs a tudo que seria ruim para a mente e o coração. O homem que sem som fez  poesias para os olhos.



    Quando o homem virou máquina ele foi um dos que disseram espera aí! Tudo com o simples bom humor de um bom palhaço. Hoje é um íncone. ganhou tanta importância para a própria rainha que após sua morte seu corpo foi roubado, o único motivo para o qual ninguém pagou pelo belo resgate do corpo do lendário Chaplin foi seu mais que bom-humor bom senso, e a linda união de um casal. Sua esposa deixou bem claro que " Eu pagaria tudo o que pedissem, mas ele mesmo acharia um absurdo pagar por um CORPO" e assim ficou até tudo se resolver por outros meios, uma história que mostrou que palhaço, todo mundo é, depende só do ponto de vista. e se tiver um palhaço na história com certeza não é o da graça do circo que faz as gargalhadas, mas o que faz da realidade um prato para sua arte. ( geralmente acabam porser dois em 1)



 Mais informações : http://presentedealegria.wordpress.com/tag/historia-do-palhaco/
 

Trova: 1- s.f. Composição poética vulgar e ligeira. 2 - Quadra popular, cantiga, loa.

Sinônimo de trova: poesia e verso


Só depende de nós...

"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a
poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o
desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.  Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.

           Tudo depende só de mim."
Charles Chaplin